sábado, 10 de novembro de 2012

NOSTALGIA

Adoro o Outono; é, mesmo, a minha estação preferida.
 
Então, hoje, fui procurar o Outono.
 
E encontrei:
 
 
uma folha caída
 
 
uns patos sonolentos
 
 
uma explosão misteriosa
 
 
um canavial ao vento
 
 
um fantasminha
 
 
um olho perdido
 
 
uma lata birrenta, esmagada por duas frágeis canas. É bem feito, não tinha nada que invadir os domínios da natureza pura.
 
 
um reluzente insecto castanho
 
 
três velhos órfãos, cheios de rugas e reumatismo
 
 
dois estranhos insectos que navegavam através dum mar de ameaçadoras nuvens, coabitando com uma pequena ave
 
 
 
Encontrei tudo isto e depois regressei a casa, na esperança de que chova.
 
 
 


NARCISISMO

Hoje, por volta do meio-dia, atravessei a transparência das águas dum espelho e, do lado de lá, onde, sem saber muito bem como, fui parar, revelou-se-me uma imagem tão bela, tão perfeita, que, para ver se era real, decidi beijá-la. Beijei-a e senti o beijo. Oh! Era a minha imagem. Ou melhor, era eu.




UNIÃO EUROPEIA

 
Ao circular por Lisboa, vejo um anúncio da GREVE GERAL IBÉRICA, a ocorrer no próximo dia 14.
 
Admiração? Nenhuma.
 
Afinal, não será o primeiro nem o último protesto que une mais do que um Povo, no seio da denominada UNIÃO EUROPEIA. Por outro lado, são sobejamente conhecidas as razões desta LUTA, protagonizada pelos NOVOS OPRIMIDOS, esmagados por sucessivos PACOTES DE AUSTERIDADE, que assassinam os mais elementares DIREITOS HUMANOS, sobretudo no plano laboral e social, naquilo que representa uma tão avassaladora quanto alarmante involução de conquistas civilizacionais fundadas no respeito por Valores Humanos essenciais ao são desenvolvimento pessoal e social.
 
Reflexão? Sim.
 
Talvez seja pela via da CONGREGAÇÃO/EXPRESSÃO COLECTIVA dos Povos atingidos que, finalmente, se venha a construir a VERDADEIRA UNIÃO EUROPEIA, uma união fundada na REVOLTA contra as INJUSTIÇAS  que, em (alegado e falso) nome da (apenas designada) UNIÃO EUROPEIA, vêm sendo perpetradas contra alguns dos Países em situação de maior fragilidade.
 
O que não deixa de ser TRISTEMENTE IRÓNICO! E não deixa augurar nada de bom ...
 
Mas é a verdade, desiluda-se quem (ainda) acredita na possibilidade duma EUROPA UNIDA E SOLIDÁRIA, fundada numa identidade civilizacional própria e no convívio harmonioso, igualitário e solidário entre os seus diversos Povos. Quanto a mim, estou à vontade, pois nunca acreditei em semelhante ficção.
 
Levantemo-nos, pois, VÍTIMAS DA FOME(que há diversas fomes, embora muitas já sejam de comida ...)!
 
Pugnemos pela devolução dos nossos DIREITOS ROUBADOS, da nossa DIGNIDADE AFRONTADA e da INTEGRIDADE DOS NOSSOS PAÍSES ASSALTADOS!
 
EM UNIÃO, A UMA SÓ VOZ, POR ESSA EUROPA FORA!
 
NO PRÓXIMO DIA 14 E EM TODOS OS DIAS QUE SEJA NECESSÁRIO!   
 

segunda-feira, 1 de outubro de 2012

... MIL, MUITOS MIL ...


... PARA CONTINUAR ABRIL!
 
1. De preferência um Abril diferente, que não tolere esta espécie de democracia infecta, povoada e orquestrada por bandos de ladrões e mentirosos, que falam e actuam com a maior desfaçatez, violentando os mais elementares princípios éticos, valores humanísticos e direitos dos cidadãos, dos mais desprotegidos, entenda-se, que somos ou estamos em vias de ser quase todos nós. 
2. De preferência mais mil e mil e muitos mil, digo eu, porque não vale tocar e fugir, fazer um grande e adequado alarido num certo dia 15 de Setembro (o passado), e depois folgar, com a ilusão de que a mensagem passou e basta. 
É que isto da luta requer empenho, resistência, continuidade e persistência, sob pena de, rapidamente, cair no esquecimento e, pior, dar oportunidade ao desprezo piadético de certos (des)governantes, como é o caso da ministra da justiça, que, comentando a grande manifestação desse dia 15, se atreveu a dizer não estar nada admirada, pois ainda esperava mais gente ... Grande lata! 
Vem isto ao caso, não porque a manifestação de sábado passado, no Terreiro do Paço, tivesse sofrido de défice de participação, antes pelo contrário, como os próprios meios de comunicação social (v.g., SIC, visão de helicóptero) bastamente testemunharam. A questão é que o impacto teria sido ainda maior caso os estreantes de 15 de Setembro se tivessem juntado. 
Na verdade e só para citar um aspecto, não convém perder de vista o facto de o abandono da medida relativa à TSU  (oferta do dinheiro dos trabalhadores aos patrões) não significar qualquer involução na política que lhe está subjacente, e que, em qualquer outro formato, nos cairá em cima, com grande estrago e estrondo, já no próximo OE, se não antes ... 
Eu sei de pessoas que não compareceram por, alegadamente, não se identificarem com a CGTP. E daí? O que importa é a identificação com a luta em curso.  
Eu identifico-me, mesmo não pertencendo à dita CGTP, ou a qualquer outra entidade sindical e, já agora, mesmo não pertencendo e nunca tendo pertencido (nem tencionando vir a pertencer) a nenhum partido político. 
Portanto, fui à dita manifestação e, enquanto puder e custe o que custar, hei-de ir a todas aquelas em que, concordando com os fundamentos, esteja em causa a defesa dos meus direitos, dos direitos dos mais desfavorecidos e da salvaguarda da independência do nosso País!  
3. Deixo, agora, o meu testemunho foto e videográfico, através do qual poderá comprovar-se a magnitude da manifestação, o respectivo (legítimo) fundamento, v.g., em algumas das palavras do Arménio Carlos e, por fim, as (lógicas) conclusões retiradas. 
 
 





 
 
 




 

 
 
  

sábado, 29 de setembro de 2012

COM ATRASO, COM AFECTO ...


Ocorreu no passado dia 21; segundo critérios de índole jornalística já perdeu, pois, toda a oportunidade, mas como este blogue mais parece um arquivo morto, sabe-se lá se com algum interesse para os vindouros, deixo aqui certas imagens que captei na vigília junto ao Palácio de Belém, quando da reunião do conselho de Estado.
 
Bem vistas as coisas, reportei o tema no FB, mas, como diz o outro, não é a mesma coisa.
 
Por outro lado, o evento não merece ficar em branco, na transição para o seguinte, que, passe a redundância (intencional ...), se seguirá no próximo post. 
 
Nesta fase do campeonato, os comentários parecem-me desnecessários ...
 
Assim, que as palavras, animadas ou não, falem por si!
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
ACORDAI!
 
 
 
 
 
 

sábado, 15 de setembro de 2012

15 DE SETEMBRO DE 2012


Como as palavras já se vão tornando desnecessárias, tal é a estrondosa evidência dos factos, limito-me a deixar algumas imagens, para ilustrar uma das maiores, se não a maior MANIFESTAÇÃO, a que tenho assistido nos últimos, pesados e injustos tempos que nos tem sido imposto viver, em nome da expiação duma culpa (dívida) a que somos alheios e da prossecução de um interesse que não é o nosso.
 
Apenas saliento que registei uma significativa mudança do tecido sociológico presente, traduzida no facto de, aos do costume, se terem juntado muitos outros, por um lado, seguramente oriundos duma classe média de nível bem mais elevado e, por outro lado, com uma amplitude etária bem mais diversificada.
 
Enfim, sendo de lamentar a necessidade duma situação extrema, que toca a todos (obviamente, com excepção da minoria privilegiada que manda ...), para nos unirmos, ao menos que a UNIÃO SE CUMPRA. E cumpriu-se!  
 
 


 

 
 
 
 
 
 
 
É, ainda, caso para dizer que o filme segue dentro de momentos ...